26 segundos

 

Sempre gostei do tempo. Ler as teorias, pensar sobre ele ou simplesmente pousar sobre as horas e vê-lo passar. Ao ler e pensar  o assunto tinha insumo suficiente para criar teorias, das mais simples as mais malucas. É que o tempo abre janelas. Seja na imaginação ou nas observações científicas, o tempo vira máquina e vira dobras que nos levam a viagens maravilhosas para outros tempos ou espaços. Sempre em mundos diferentes. Uma viagem no tempo nunca nos levará de voltar ao mesmo ponto do qual partimos. Nunca mais seremos os mesmos daquela data, hora, minuto, segundo, miléssimo de segundo. O tempo e as ações contidas nele sempre nos modifica. Ontem voltei a pensar sobre o tempo com a curiosidade infantil que não consegui deixar lá atrás, nos tempos da minha infância. Assisti a uma reportagem que dizia que amanhã, 30 de junho de 2015, nosso último minuto do dia terá 61 segundos. O texto da reportagem era poético. Falava sobre a nossa percepção sobre o tempo. O que cabe em apenas 1 segundo? É tão pouco e tanto. Nós, seres humanos somos realmente desconcertantes. Tentamos a qualquer custo controlar a tudo e a todos. Buscamos incessantemente a perfeição. Não buscamos a Deus. Queremos sê-lo. Precisamos da sincronização para não nos deixarmos cair no erro. Mas, o que fazer se o Universo conspira para que desaceleremos? Criamos relógios atômicos mais perfeitos que a rotação da terra! Nossos 400 relógios atômicos são tão precisos que nem em 300 milhões de anos atrasariam 1 segundo. Mas a Terra, esse planeta azul caótico no qual vivemos, é tão imperfeito. Depende de tantas coisas para girar e sua tendência é sempre desacelerar. Desacelera pela força gravitacional entre lua e sol e então, temos as marés. Depende de movimentos atmosféricos, de variações de gelo, de movimentos tectônicos. Depende do que fazemos todos os dias na nossa ânsia de controle desmedido. Enquanto isso, a Terra suplica para que os humanos desacelerem. E nós, corremos em busca da perfeição e só encontramos caos. Desde 1972, a Terra nos forçou a desacelerar 26 segundos. Pobre Terra. Faz sempre um esforço tão grande e mesmo assim não percebemos o que 1 segundo pode significar. A gente só entende o corre corre do dia e nunca tempos tempo para nada. Nem para ver que o tempo quer descanso. É porque no corre corre da vida não dá para ver que o tempo passou assim diluido em tantos anos. E não somos capazes de entender nada. Afinal, se a máquina funciona por quê nos preocuparmos? Já nascemos automatizados. Respiramos sem nem perceber sse isso realmente acontece e tudo funciona! 1 segundo...26 em tanto espaço...absolutamente nada nos fala. Até que o tempo pare ou nós paremos de respirar. 

Please reload

Featured Posts

Sobre o processo criativo

June 22, 2015

1/2
Please reload

Recent Posts

August 16, 2018

May 4, 2017

August 19, 2015

August 13, 2015

July 22, 2015

July 20, 2015

July 2, 2015

Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

©2015 por MIRELA MARTORELLI DE NOVAES

Orgulhosamente criado com Wix.com