Predestinadas

Mulheres já nascem predestinadas. Sim, gostaria de começar este texto de outro jeito. Gostaria também de não ter que ler ou escrever sobre isso. Mas somos predestinadas. Somos predestinadas a sermos mães, donas de casa, a nos calar para evitar problemas. Somos predestinadas a nos vestirmos de maneira a não despertar desejos. Em muitos lugares do mundo somos predestinadas a sermos mutiladas. Somos predestinadas a sermos totalmente responsabilizadas pela criação dos filhos, principalmente se algo dá errado. Somos predestinadas a sermos totalmente responsabilizadas pela violência que sofremos física, moral ou verbal. Somos resposáveis, entenda, não vítimas dos abusos cometidos contra nós. Afinal, nascemos mulheres, predestinadas ao caos do mundo. Não estou aqui me vitimando pela minha condição. Ao contrário, nasci mulher. Predestinada a mudar esta condição. Trabalho com afinco nisto. Tenho filhos. Eles também nasceram predestinados, mas a mudar um pouco o mundo. E, já que minha condição de predestinada indica que sou totalmente responsável por eles, sinto-me no dever de ensinar-lhes a cada dia a real condição de ser mulher. E por isso apresento a cada um deles o que chamamos de virtudes. A primeira delas é a coragem - a mais universalmente admirada. Mas coragem pode servir para o bem ou para o mal e de nada vale a coragem sem outras virtudes como a doçura, por exemplo. Segundo André Comte-Sponville a doçura é feminina, apesar das virtudes não terem sexo. Mas quando juntamos coragem e doçura, temos uma força sem dureza, um amor sem cólera. A doçura é antes de mais nada uma paz, real ou desejada: é o contrário da guerra, da crueldade, da brutalidade, da agressividade, da violência...diz Comte-Sponville no Pequeno Tratado das Grandes Virtudes, e a trata quase como o amor. Outra virtude que faço questão de apresentar aos meus filhos, quase como uma prece num rosário tecido a cada dia. Repetindo ações e falas que os façam entender que o amor cabe em qualquer lugar e serve para todos. E só é amor porque não escolhe a quem amar. Não escolhe cor, sexo, profissão ou condição social. Apenas ama e cabe em qualquer lugar. Porque assim como as mulheres, todos são predestinados. Somos homens e mulheres predestinados a sermos corajosos, doces e a amar, uns aos outros.

 

   

Please reload

Featured Posts

Sobre o processo criativo

June 22, 2015

1/2
Please reload

Recent Posts

August 16, 2018

May 4, 2017

August 19, 2015

August 13, 2015

July 22, 2015

July 20, 2015

July 2, 2015

Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

©2015 por MIRELA MARTORELLI DE NOVAES

Orgulhosamente criado com Wix.com